quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

A Década na América Latina



Atividades acadêmicas planejadas para breve me fizeram pensar um pouco na retrospectiva da década de 2000, em quais foram os fatos mais significativos para a América Latina. Abaixo seguem os que considerei os mais importantes, comentários e sugestões de acréscimos são bem-vindos:

Política

- As vitórias eleitorais da esquerda: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, El Salvador, Equador, Honduras, Uruguai e Venezuela.

- Os golpes na Venezuela e em Honduras, a democratização do Peru após a queda de Fujimori.

- O (re)estabelecimento de processos judiciais por crimes cometidos durante as ditaduras militares da região.

- O fim de longos domínios partidários no México e no Paraguai, e a saída de Fidel Castro da chefia do Estado em Cuba.

- Enfraquecimento da guerrilha na Colômbia.

- Eclosão de conflitos de fronteira e/ou por recursos naturais na região, revertendo a tendência da década de 1990.

- O aumento nos gastos militares nas nações sul-americanas.

- Missão de paz da ONU no Haiti.

- A criação da Unasul e o papel mais ativo da OEA nas crises do continente.

Economia

- O crescimento bastante expressivo das principais economias da região, acompanhado em alguns países por considerável redução da pobreza, mas a persistência dos altos índices de desigualdade social.

- A crise de 2001 na Argentina.

- Assinaturas de tratados de livre comércio dos EUA com Chile, Colômbia e América Central/República Dominicana.

- China se torna parceiro comercial importante para a região.

***

A edição brasileira destê mês do Le Monde Diplomatique traz reportagem de Paula Daibert sobre direitos humanos e política externa do Brasil, na qual minha amiga Lucia Nader e eu somos entrevistados e analisamos criticamente as decisões do governo Lula na ONU em relação a temas como o Irã.

7 comentários:

Karin Nery disse...

Olá Maurício,

Será que você poderia colocar o link (se estiver disponível na net) da entrevista que foi feita com vocês?

Abraços

Patricio Iglesias disse...

Meu caro:
Parabéns pela entrevista no Le Monde Diplomatique! Lamentávelmente suponho que não há link. É uma excelente publicação, mas é muito elitista no preço.
Alguns comentários, já que convida...

A) "As vitórias eleitorais da esquerda". Um, digamos, russo, que lê isso e não save nada sob nós pode chegar pensar que ganharam ou os tradicionáis "comunistas" ou partidos mais liberáis ao estilo do PSOE ou o socialismo francês. Creio que há que aclarar que asumiram governos "mais à esquerda (ou "menos de direita", melhor) do que os existentes nos 1990', geralmente com discursos nacionalistas e latinoamericanistas e com políticas econômicas um pouquinho mais heterodoxas" (iva dizer "partidos", mas, no caso da Argentina... É o mesmo! E com a mesma estrutura!).

B) O aumento dos gastos militares, ao menos desde Argentina, não me resulta muito significativo. Sem ofender, creio que você, por ter estudado o tema, o considera central, mas fora do ámbito erudito poucos savem e não o vejo como umo dos "Top 9" da década. Quem save se chega ter conseqüencias importantes no futuro e você resulta ser um visionário...

C)Eu adicionaria, aunque talvez seja muito "argirocéntrico", a crise entre a Argentina e o Uruguai, a famosa "Guerra del Papel", que deixou às claras a incapacidade do Mercosul pra resolver disputas de certo porte entre seus membros.

D) E, seguindo com o "argirocentrismo", ao lado da crise de 2001 colocaria à crise de 2008 com o campo.

Concordo com o resto dos fatos como dentro do "Top Mau". He, he, he!

Abraços!

Patricio Iglesias

Patricio Iglesias disse...

PS: Sem dúvidas no 2020 va escrever como um dos fatos da década de 2010 "O arribo ao poder pela via eleitoral da direita no Chile depois de 50 anos". Dão ganhas de anotar um acontecimento tão importante, mas não, por dias se consumou no outro decênio. Ha, ha, ha!

Mauricio Santoro disse...

Oi, Karin.

Infelizmente a reportagem do LMD não está disponível online, mas se ela aparecer em algum site, coloco um link por aqui.

Dom Patricio,

Tens razão quanto à crise do campo, é importante o suficiente para entrar na lista.

O conflito das papeleras entra na categoria mais ampla dos embates por recursos naturais.

Quanto aos gastos militares, estava pensando mais em função de países como Brasil, Chile e Venezuela, onde essa tendência é muito forte.

abraços

Diogo Kugler disse...

Excelente post! Essa década foi da américa latina!

Só adicionaria o aumento nos gastos sociais.

Abraço!

Mauricio Santoro disse...

Diego,

Bem observado, vale registrar.

Outro dia eu lia uma reportagem falando dos anos 2000 como a "década perdida" para a Itália. Curioso como o mesmo tempo significa coisas diferentes para cada região...

abraços

MauricioPC disse...

Foi uma década bastante agitada mesmo! Um prato cheio pra quem gosta de estudar a América Latina. É uma pena que com tanta mudança e acontecimento muitos ainda tem uma visão tão pessimista daqui, e a velha visão de que nada de bom acontece ou se cria pela nuestra américa. Quem sabe nesta próxima década não se consiga divulgar um pouco mais nossa beleza e importãncia para o mundo.