terça-feira, 30 de setembro de 2008

Apocalipse 6



1 E, havendo o Financial Times e a The Economist aberto um dos selos, olhei, e ouvi um dos quatro animais, que dizia como em voz de trovão: Vem, e vê.

2 E olhei, e eis um banco de investimentos; e o que estava assentado sobre ele tinha um empréstimo hipotecário subprime e foi-lhe dado um subsídio governamental, e saiu vitorioso, e para vencer.

3 E, havendo aberto o segundo selo, ouvi o segundo animal, dizendo: Vem, e vê.

4 E saiu uma seguradora; e ao que estava assentado sobre ela foi dado que tirasse a paz da terra, e que falisse uns aos outros; e foi-lhe dado uma grande nacionalização.


5 E, havendo aberto o terceiro selo, ouvi dizer ao terceiro animal: Vem, e vê. E olhei, e eis um pacote de ajuda a Wall Street e o que sobre ele estava assentado tinha a Secretaria do Tesouro e o Fed na mão.

6 E ouvi uma voz no meio dos quatro animais, que dizia: Uma medida de votos por um dinheiro, e três medidas de deputados por um dinheiro; e não danifiques o petróleo e o dólar.



7 E, havendo aberto o quarto selo, ouvi a voz do quarto animal, que dizia: Vem, e vê.

8 E olhei, e eis um Congresso rebelde, e o que estava assentado sobre ele tinha por nome Pânico; e o mercado o seguia; e foi-lhes dado poder para matar a quarta parte da terra, com quedas na bolsa, e com fome, e com o déficit fiscal, e com a fuga do capital.

9 E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra das hipotecas e por amor dos empréstimos que fizeram

10 E clamavam com grande voz, dizendo: Até quando, ó verdadeiro e santo Dominador, não julgas e vingas o nosso sangue dos que habitam sobre a terra?

11 E foram dadas a cada um compridas cédulas eleitorais e foi-lhes dito que repousassem ainda um pouco de tempo, até a votação de novembro, e que também se completasse o número de seus conservos e seus irmãos, que haviam de ser mortos como eles foram.

12 E, havendo aberto o sexto selo, olhei, e eis que houve um grande tremor de terra; e o sol tornou-se negro como um candidato democrata, e a lua tornou-se como sangue;

13 E as estrelas do céu caíram sobre a terra, como quando a figueira lança de si os seus figos verdes, e o índice Dow Jones despenca às profundezas, abalado por um vento forte, pelas guerras na Babilônia e na Báctria, e pelos temores na Pérsia.

14 E o presidente Bush retirou-se como um livro que se enrola; e todos os republicanos, liberais e neoconservadores foram removidos dos seus lugares.

15 E os reis da terra, e os grandes, e os ricos, e os tribunos, e os poderosos, e todo o servo, e todo o livre, se esconderam com seus iPhones e notebooks;

16 E diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondei-nos do rosto daquele que está assentado sobre o trono, e da ira dos eleitores;

17 Porque é vindo o grande dia da sua ira; e quem poderá subsistir?

7 comentários:

Patricio Iglesias disse...

Maurício:
Sempre foi uma pessoa ingeniosa, mas agora com os artigos sob a crise você está passando por um periodo de criatividade explosiva! Näo será a "amiga marijuana", Näo é? HAHAHAHA
Saludos!

Patricio Iglesias

Patricio Iglesias disse...

Maurício:
Sempre foi uma pessoa ingeniosa, mas agora com os artigos sob a crise você está passando por um periodo de criatividade explosiva! Näo será a "amiga marijuana", Näo é? HAHAHAHA
Saludos!

Patricio Iglesias

Leandro Bulkool disse...

Hahahahahaha

Adorei. Fenomenal.

Mauricio Santoro disse...

Meu caro Patricio,

A única droga que consumo são os programas de debates econômicos na TV, ainda que eu reconheça que se trata de vício severo, com poucas possibilidades de cura.

Abraços

Vera Borda disse...

Maravilha de texto. Obrigada.

Mauricio Santoro disse...

Cara Vera,

agradeça ao Bush e ao Congresso dos EUA!

Abraços

Eduardo Marculino disse...

parabens pelo BLOG.