quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Si ni puedo bailar, no es mi Revolución



Estou num raro período de folga nos meus três empregos (alguém tem que trabalhar neste país) e aproveitando para fazer muitas coisas, inclusive rever amigos fraternos como Fernando Paiva - jornalista, escritor, músico e sempre com muitas idéias interessantes em curso. A mais nova iniciativa do Fernando é o projeto "Si no puedo bailar, no es mi Revolución", uma rede de bandas de rock independente da América Latina.

Eles lançaram neste ano o disco "Porque este Océano es el tuyo, es el mío" (o título é um verso de Neruda), com canções de 17 bandas da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Peru, Uruguai e Venezuela. O grupo do Fernando, Luísa Mandou um Beijo, marca presença com uma música muito bonita feita para o irmão dele, que à época se encontrava num dilema vocacional entre cinema e geografia:

"Anselmo, faça cinema, por favor!
Planos cortados e beijos em PB
Tente filmar o que você sente!
Não enquadre a cena, focalize o fundo, quebre a narrativa
e distorça o mundo"


O curioso é que muita gente achou que o "Anselmo" da canção era o Anselmo Duarte, diretor do "Pagador de Promessas" e dois fãs fizeram um videoclipe espertíssimo para a música, a partir de colagens dos filmes do Cinema Novo e da Nouvelle Vague. A confusão criativa se justifica, porque além do nome, há em "Anselmo" referências ao cineasta Glauber Rocha, incluindo diálogos de seu filme.

A conversa com o Fernando foi muito boa e vimos o quanto nossos projetos acadêmicos e culturais tem em comum, no sentido de descoberta da riqueza da América Latina, da fascinação com o continente e do calor humano do contato com pessoas de outros países da região. Fiquei especialmente entusiasmado pelas possibilidades oferecidas pelas novas tecnologias de informação e pela cultura de liberdade - creative commons, software livre - que tem florescido no ciberespaço.

Disse ao Fernando que meus instrumentos tradicionais como jornalista e cientista político simplesmente não conseguem dar conta da imensa riqueza que tenho visto em minhas viagens. "Por que você não escreve um livro?", ele perguntou. A idéia está aí, para amadurecer em 2008.

Ah, sim: não deixem de ouvir a cantora chilena Javiera Mena, que também está na coletânea e tem letras absolutamente líricas, embaladas por uma voz doce.

5 comentários:

Anônimo disse...

Maurício, sensacionais o clipe e a música. Feliz ano novo.
Renato Feltrin

Mauricio Santoro disse...

Caro,

eles são ótimos. Agora estou vasculhando a Internet em busca de canções das outras bandas da coletânea, que é mesmo excelente. Bom presente para dar em 2008.

Abraços

Idelber disse...

Mauricio, passei para desejar feliz ano novo e recebi de brinde este excelente. Obrigado pela dica! Feliz ano novo e vamos ver se a gente se encontra num desses congressos aí, cumpadi. Abraço!

Idelber disse...

este excelente CLIP, ficou faltando....

Mauricio Santoro disse...

Salve, meu caro.

Obrigado pelos votos de boas festas, fica também o abraço para você! Curta o pessoal, que é mesmo muito bom, e nos falamos em 2008.

Abraços