quarta-feira, 12 de março de 2008

A Caçada às FARCs



A crise sul-americana terminou com abraços meio constrangidos na Cúpula do Grupo do Rio. No fim das contas, o resultado foi a vitória política de Uribe, que mostrou ser capaz de atacar as FARCs nos países vizinhos, matar um dos principais líderes da guerrilha e manobrar com habilidade em meio à tempestade regional que se seguiu. Outra boa notícia para Uribe ocorreu poucos dias depois: a morte de mais um líder das FARCs, Ivan Ríos (foto), responsável pelas finanças da guerrilha. Ríos foi assassinado por um de seus subordinados, motivado pela recompensa de 5 milhões de pesos. Para comprovar a morte do chefe, entregou às autoridades a mão de Ríos, que decepara por garantia. A Colômbia não é para amadores.

Quando uso a expressão "líder", me refiro aos membros dos secretariado-geral das FARCs, a cúpula da organização. Até o dia 1 de março, nenhum integrante do secretariado havia sido morto em combate, em mais de 40 anos de conflito armado. Em uma semana, foram dois. Além disso, o Exército matou comandantes de "Frentes" (unidades das FARCs que variam de algumas dezenas a centenas de tropas). Claro que isso fortalece muito a popularidade de Uribe, que está altíssima, e reforça seu argumento de que é possível derrotar militarmente a guerrilha.

Na semana passada houve manifestações importantes na Colômbia, teoricamente em defesa das vítimas de toda a violência política, embora na prática tenha sido algo mais voltado à oposição aos grupos paramilitares. Foi uma reação aos protestos de fevereiro, que tinham sido dirigidos exclusivamente contra as FARCs. A questão é delicada porque os paras envolvem a cumplicidade de policiais, militares e políticos - sim, se você é do Rio de Janeiro, o paralelo com nossas milícias é assustador e evidente.

Surgiram informações interessantes sobre a tecnologia avançada usada pelo Exército colombiano para o ataque ao destacamento das FARCs no Equador. Tropas colombianas teriam se infiltrado próximo à base e instalado localizadores de fabricação israelense, que foram utilizados para guiar as bombas lançadas pelos aviões - Super Tucanos da brasileira Embraer, escolhidos para a missão porque "podrían pasar por inocuas avionetas turísticas, cuentan con avanzados sistemas de visión nocturna y alta tecnología para visión térmica y guía de bombas y misiles."

Outra curiosidade: as bombas utilizadas foram do tipo cluster, que explodem a alguns metros do solo, e espalham explosivos por grande área. São perfeitas para o ataque a alvos difusos, como bases guerrilheiras, mas muitos problemas têm sido observados em sua aplicação, em particular a permanência de munição não-detonada que pode atingir civis, à semelhança de minas. Por isso, esse tipo de armamento enfrenta resistências internacionais e sua proibição é discutida em fóruns multilaterais. O Brasil defende as bombas cluster e tem várias em estoque.

9 comentários:

Patrick disse...

Lembro que o Fujimori também teve sua popularidade alçada às alturas com esse tipo de ação.

Tiago disse...

Maurício, segue aqui o link para o trailer de um documentário que a Pindorama Filmes, produtora em que trabalho, gravou na Colômbia ano passado.

http://www.youtube.com/watch?v=eVPA95wkkZ0

Enquanto estávamos lá, me dei conta de que as comparações entre o caso colombiano e a violência carioca são pertinentes. Mas, lá, o buraco é realmente muito, mas muito mais embaixo mesmo.

Vou ver se te consigo uma cópia.

Mauricio Santoro disse...

Sim, Patrick, o combate ao Sendero Luminoso e ao Tupac Amaru foi um dos pilares da popularidade de Fujimori após seu autogolpe.

Obigado, Tiago, você havia me falado sobre o documentário e fiquei bem interessado em assistir a ele.

O prefeito de Medellín disse ao governador do Rio de Janeiro que nossa cidade lembra a situação de sua própria, há dez anos. De arrepiar.

Abraços

Igor Trabuco disse...

Maurício,

Pouco tempo longe do blog e muito a comentar. Mas o que mais queria te dizer (depois, mando email mais longo) é que fui bem no TPS e estou com chances reais de um sinal verde no dia 25.

Estou calmo e confiante. Mas sempre com os pés atados à terra.
Saudade de vc.

Abração

Mauricio Santoro disse...

Grande Igor,

finalmente uma boa notícia em meio ao caos do TPS! Resolvi algumas questões na turma de segunda-feira e achei a prova bem difícil, com várias cascas de banana.

Me mantenha informado de como estão as coisas, precisamos marcar um de nossos almoços.

Boa sorte, meu caro!

Abraços

Patricia Rangel disse...

poxa, maurício, que fotinho... adorei o último post, seu blog é o que há!
beijos

Magu disse...

o defesanet é uma boa fonte de dados sobre defesa. sobre as bombas de fragmentação, não existe um acordo, só negociações mesmo. vale a pena ver esse vídeo que demonstra a utilidade estratégica desse tipo de armamento. abraços jogador.

http://www.youtube.com/watch?v=Ii5D0MbLrHI

Mauricio Santoro disse...

Olá, Pat.

Obrigado, querida. Todos por aqui esperamos uma visita sua.

Fala, Helvécio.

É exatamente no DefesaNet que peguei as informações sobre as bombas cluster, o link é para lá.

Abraços

Anônimo disse...

Excelente su blog !, muy bien escrito, felicitaciones Mauricio Santoro. Aunque tengo que discrepar con su enfoque sobre el tema de las FARC. De que lideres me habla?? Son una banda guerrillera, que secuestra pobres inocentes y pide rescate por ellos, los que tienen pagan y los que no tienen mueren, que cobra peaje a los narcotraficantes!! Que me dice de Ingrid Betancourt y de su calvario de mas de seis años.Por favor! sea un poco mas objetivo.