sábado, 31 de maio de 2008

Ritos de Passagem



O ciclo está completo. Após seis anos de estudos de pós-graduação, sou doutor em ciência política. Naturalmente, vai levar um tempo até me acostumar ao título, e quando telefonam procurando pelo “dr. Maurício”, minha primeira reação é dizer que foi engano. Quando penso em ritos de passagem, me vem à mente aqueles documentários sobre povos indígenas com um monte de rapazes tendo a pele lixada por couro de jacaré e depois mergulhando num poço de formigas carnívoras. Minha própria cerimônia foi muito diferente – sabem a quantas anda o preço do crocodilo? - e na realidade bem mais tranqüila e afetuosa do que haviam sido minhas experiências anteriores com mestrado e graduação.

Vários dos colegas comentaram que ficaram impressionados com a qualidade da banca. De fato, demorei diversos meses para realizar a defesa justamente porque fiz questão de reunir um grupo de professores que se destacasse pela especialização nos diversos aspectos abordados pela minha tese (relações internacionais, América do Sul, modelos de desenvolvimento). Uma bela supresa, não intencional, foi que eles representavam as três instituições nas quais fiz meus estudos de nível superior – UFRJ, IUPERJ e Torcuato di Tella. Foi a melhor educação que o dinheiro podia comprar no Brasil, e na Argentina. Com a ressalva, fundamental, de que foi toda ela gratuita. Sou mais um beneficário dos que os franceses chamam de “elevador republicano”, uma experiência que deixou em mim, acredito que para toda a vida, a crença na educação pública como o mais importante dos direitos de cidadania.

Um amigo que defendeu seu próprio doutorado há pouco tempo tinha me aconselhado a curtir bastante o momento: “Você terá vários especialistas discutindo seu trabalho em detalhes por uma tarde. É uma sensação gostosa, você verá, aproveite esse instante!”. Tinha recebido a dica com ceticismo, mas comprovei que é verdade. Poucas coisas são tão estimulantes para um pesquisador do que ouvir críticas construtivas, feitas com boa vontade e num ambiente de respeito profissional, que realmente iluminam problemas do texto, abrem outras perspectivas e levam o trabalho adiante.

Muitas pessoas se surpreendem que eu tenha cursado o doutorado ao mesmo tempo em que trabalhava em três empregos. Por estranho que pareça, acho que foi essa intensa atividade profissional que me deu a tranqüilidade (financeira e psicológica) para me dedicar aos estudos. O maior medo que vejo entre os doutorandos brasileiros é o de não conseguir emprego após a defesa, o que faz com que muitos adiem a conclusão de suas pesquisas. Mas é claro que tive dúvidas sérias entre igressar no doutorado ou me dedicar só ao trabalho e no fim o que me decidiu foi o carinho e o incentivo incomparáveis que sempre recebi dos professores e colegas do IUPERJ.

Ninguém se faz sozinho e a vida da gente não é só a vida da gente. Minha escolha de pesquisar a América do Sul se deu num contexto político e acadêmico muito rico, em que a região despontou como centro de atenções para a opinião pública e que no IUPERJ se refletiu na criação do Observatório Político Sul-Americano e em colegas escrevendo teses sobre Argentina, Chile, Venezuela. Na cerimônia de defesa, meu orientador chamou a atenção para a importância de os acadêmicos brasileiros façamos o esforço para compreender o continente, e através de um olhar que busque escapar dos preconceitos nacionalistas e adote enfoque mais regional.

18 comentários:

Su Khalil disse...

Mauricio,

Deve ser uma sensação única e maravilhosa, depois de tantos anos de estudo, ainda mais quando trabalhamos em uma tema pelo qual nos apaixonamos. Não há nada melhor!

Mais uma vez, parabéns, Doutor! ;-)

Beijos!

Renato Feltrin disse...

Marurício,

Congrats... sei da dificuldade de se alcançar um título como esse. Parabéns.

Marcus disse...

Parabéns, Mauricio!

Isso é apenas o reconhecimento de sua enorme capacidade.

Patricio Iglesias disse...

Caro Maurício:
Parabéns, Dr. Santoro! Savia que você poderia faze-lo.
E viva a educaçäo pública, como você diz!
Saludos!

Patricio Iglesias

Márcio Santoro disse...

Parabens, Doutor Mauricio!!! Quem conhece sua trajetoria e dedicacao sabe que voce realmente fez por merecer essa conquista, que para nos nao eh nenhuma surpresa, mas o resultado justo e esperado de um processo que comecou hah muitos anos atras. Agora aguardamos os novos desenrolares da sua carreira de sucesso! Um grande abraco do irmao!

Mauricio Santoro disse...

Car@s,

obrigado, ainda estou naquela fase em que não consegui sentir totalmente que já sou doutor. Segundo um amigo, é uma etapa que dura cerca de dois anos!

Abraços

Anônimo disse...

Professor Maurício,
O sr. se esqueceu de mencionar que, além de possuir três empregos, ainda tem tempo para escrever este blog, que tanto esclarece futuros diplomatas como eu.
Abraços e meus sinceros parabéns,
Davi Alvarenga

Nica disse...

*Levantando a placa: "Eu já sabia!"* :)

Parabéns, Doutor Mestre (ou seria Mestre Doutor?)! Enquanto fã de longa data, posso apenas registrar o orgulho pelas conquistas do amigo. Aproveite!

Beijão!

SAM disse...

Meus parabéns, meu caro.

Sinceramente não sei quando comecei a ler este espaço e, sinto-me honrado por fazer parte de seus leitores.

Seja como for, pela qualidade destes textos, não tenho dúvidas que o doutoramento tenha sido um desafio e tanto. Por isso, uma vez mais, os meus parabéns pela sua conclusão.

Se me permitir, aproveito para de deixar uma pedido/sugestão. Eu não sou da área e, por isso, gostaria de propor que, caso achasse pertinente escrever um pouco sobre a formação nessa área, em especial sobre as possibilidades de estudos doutorais (sou psicólogo e estou seriamente ponderando esse ramo para formação "final"). O que acha?

Mauricio Santoro disse...

Car@s,

É verdade, Davi, mas o blog é sempre um prazer, nunca uma obrigação.

Querida Nica, obrigado, como sempre. Aliás, acabo de falar com a Deborah no Skype. Ela está no Japão, fazendo um trabalho de consultoria!

Caro Sam, é um ótimo pedido. Vou pensar num post a respeito.

Abraços

Igor Trabuco disse...

Querido doutor,

Vc sabe como estou feliz por vc e acho que essa certeza já vale mais do que qualquer coisa que eu escreva aqui.

Parabéns mil vezes.

Quanto à prova, não achei difícil. Na verdade, as questões foram previsíveis, o que permitiu que eu usasse alguns bons argumentos quando estava respondendo. Agora, é partir para o último final de semana de sufoco!!

Abraço grande, com saudade de vc!

Síndico disse...

Dr. Maurício! Estou aqui cheio de orgulho de vc! Parabéns meu camarada! Muito merecido!

Mauricio Santoro disse...

Meu caro Igor,

muito obrigado, meu amigo. Quanto à prova, acho que vocês tiraram de letra. Alias, acabo de postar um texto sobre al.

Dom Leandro,

valeu, meu chapa. Mas bola para frente que ninguém vive do passado. Vamos ao nosso projeto conjunto?

Abraços

Julio disse...

Tô te devendo os parabéns Doutor!!
Mas, como sabe, tenho estado preso correndo atrás do meu lugarzinho aqui em BSB. Mas segunda estarei no RJ e podemos marcar uma grande comemoração!

Parabéns pela conquista!

Abraços,
Júlio

Mauricio Santoro disse...

Júlio, meu caro: parabéns a você, pelo sucesso no Banco Central. Vamos tomar um chope, quero te pedir para abaixar os juros! Abração!

Marcela (Clio) disse...

Maurício, parabéns por mais uma etapa cumprida. A vida é assim, cheia de etapas e momentos felizes. Aproveite muito, doutor! Você merece. Obrigada por todos os ensinamentos.
Beijo grande,
Marcela

Mauricio Santoro disse...

Obrigado, Marcela, espero em breve celebrar sua entrada para o MRE!

Abraços

Anônimo disse...

http://achatcialisgenerique.lo.gs/ prix cialis
http://commandercialisfer.lo.gs/ prix cialis
http://prezzocialisgenericoit.net/ cialis costo
http://preciocialisgenericoespana.net/ cialis generico