segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Hubris



O presidente Lula teve muitas vitórias neste ano – a rápida recuperação nacional da crise econômica, o espaço que o país conquistou no G-20, a escolha do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016. Não é à toa que sua popularidade alcançou a casa dos 80%, o que o torna provavelmente o político mais popular do planeta. Contudo, esta série impressionante de triunfos reforçou um lado sombrio em seu comportamento, que o tem levado com frequencia a tomar decisões à revelia da lei e a criticar as instituições de equilíbrio e fiscalização que são fundamentais na democracia.

São muitos os exemplos. O acordo militar com a França – o maior da história brasileira – foi firmado num churrasco entre Lula e Sarkozy, sem esperar o laudo técnico da Força Aérea, como manda a lei. Depois houve declarações constrangidas do Ministério da Defesa, mas que não conseguiram amenizar a frustração entre os militares.

Ao longo da última semana, Lula atacou em sequencia praticamente todas as instituições que fiscalizam o Poder Executivo: sobrou para o Ministério Público, para o Tribunal de Contas da União e para a imprensa, que segundo o presidente não deveria vigiar o governo, e apenas informar. Noticiar o quê? Presumo que o horóscopo, as palavras cruzadas e talvez os casamentos de celebridades. Lula poupou apenas a Controladoria-Geral da União, um órgão do Executivo cuja autoridade chefe tem status de ministro e é nomeada pelo próprio presidente.

Por falar em nomeação, por estes dias também tivemos a posse do novo ministro do Supremo Tribunal Federal, José Antônio Toffoli. Ele foi advogado pessoal de Lula, que depois o conduziu ao cargo de Advogado Geral da União, e finalmente ao STF. George W. Bush tentou fazer algo semelhante com sua representante jurídica, mas o Congresso vetou. Nos dois casos, há um sabor amargo, uma incômoda indefinição entre fronteiras privadas e públicas. “O Estado sou eu” podia soar bem na boca de Luís XIV, porém seus sucessores enfrentam situações mais complicadas. Que o diga Sarkozy, que tentou mas não conseguiu nomear seu filho de 23 anos para administrar o distrito financeiro de Paris.

A força de Lula vem não só de sua popularidade, e também da fragilidade do Legislativo. As sucessivas crises e escândalos de corrupção no Congresso deixaram a oposição com baixíssima credibilidade para cobrar respeito às leis e comportamento ético do governo. A própria cultura política brasileira não valoriza muito as instituições e privilegia a adesão a líderes carismáticos, a quem seus eleitores permitem passar por cima das regras para fazer as coisas andarem.

Um dos paradoxos mais curiosos da situação atual é que Lula termina o mandato com altísisma popularidade, mas é questionável que o PT tenha saído fortalecido no nível nacional. Dilma Roussef, a candidata à presidência, é uma militante histórica do trabalhismo, recém-convertida à sigla. A senadora Marina Silva, após anos de lealdade canina ao presidente, acabou escorraçada do PT e é tratada de forma rude por seus antigos companheiros de partido, embora seja admirada pelos militantes de base.

Acho improvável que aconteça uma transferência automática dos votos para a candidata apontada por Lula, de modo que muito do cenário para 2010 dependerá das costuras eleitorais com os partidos membros da coalizão de apoio ao presidente. Aqueles aliados que ele há poucos dias comparou implicitamente a Judas... Injustiça: o apóstolo acreditou em Cristo, antes de trai-lo, enquanto muitos dos atuais companheiros do presidente sempre deixaram claro que estão nesta pelos trinta dinheiros.

35 comentários:

marcos disse...

Por que quando você fala de Política você é tão raso nos seus comentários e análises? Por que nessas horas coisas como contexto são ignoradas?

Não é questão de petismo, governismo, nada disso. Mas fica impossível não reparar na discrepância de qualidade quando você aborda assuntos com alguma sensibilidade na disputa política brasileira, exceto quando o foco é política internacional.

Está claro, o blog é seu, é sua opinião, você analisa como quer. Mas para o leitor atento, a cada post como esse, postagens antigas vão perdendo a credibilidade.

Helvécio Jr. disse...

Excelente post Maurício.

Te admiro pela isenção e imparcialidade que você analisa os fatos evidentes na história do presidente que mais cometeu gafes. O grande problema é justamente admirar um sujeito em vez das instituições democráticas. O Estado fica e as pessoas passam. Lula contribui para colcoar a companheirada na máquina do Estado, Mensalão, autoritarismo nas relações com a imprensa, forjando dossiês, etc.

Lula é minha anta como diz o Mainardi.

Mauricio Santoro disse...

Caro Marcos,

Será que é porque você é fã do Lula, e não gosta das minhas críticas a ele?

A tarefa do acadêmico é criticar sempre, em particular nesses momentos de quase-unanimidade, que são perigosos, muito perigosos para a democracia. Não gosto nada do rumo que Lula está tomando. Isso não acrescenta nada ao país.

Mas eu gostaria que você apontasse argumentos e fatos que apontem para outras posições do presidente Lula. É uma maneira de tocar o debate por aqui.

Salve, Helvécio.

A sensação que tenho, nestas primeiras semanas de volta ao Rio, é que quanto mais longe de Brasília, mais as pessoas idealizam o governo federal. Estou curioso para ver como será a campanha de 2010...

Abraços

Marcus disse...

Dilma Roussef está filiada há quase dez anos ao PT. Dizer que é "recém-convertida" ao partido é muita forçação de barra.

E não é verdade que Marina Silva tenha sido "escorraçada" do PT. Saiu porque quis, e antes de sair foi instada por diversas lideranças a não fazê-lo -- logo, a afirmação de que foi tratada de forma "rude" é absurda.

Gosto muito de suas análises, mas você está tentando com este artigo reescrever uma história que aconteceu ainda agora e que todos nós, seus leitores, temos na memória, e sabemos que não é como você está contando.

luizgusmao disse...

ótimo post, maurício! a foto q o ilustra não podia ser melhor: a imagem publicitária, distorcida, por trás do homem real, d carne e osso, como se fosse a sombra de seus ideiais corrompidos me lembra o retrato de dorian gray.

Mário Machado disse...

Uai se a Dilma é filia ao PT há 10 anos, por que recentemente tivemos toda uma caravana da filiação dela, com direito até o presidente do Cortinthians (populismo puro??) a tira colo.

Marina Silva. Eu como católico, também, muito devoto não gosto nenhum pouco da mistura de religião, CEB e política que ela representa, contudo, sua saída do Ministério foi deverás hostil, em um momento agudo de debate e recebeu a pecha de querer "travar" o PAC.

Foi quase corrida pra fora do Ministério, sofreu uma fritura a fogo baixo. Isso na minha humilde visão é claramente um ato de hostilidade. É uma tática fácil criar um clima interno tal que não resta a pessoa se delisgar.

Mário Machado disse...

PS: É um alento ver um pesquisador nesse ramo complicado do saber que chamamos de ciências Sociais aplicadas, ter tamanho compromisso ontológico que deixa em cheque sua axiologia. Um exemplo pra muita gente que se torna mais ativista que academico, mas escondido atrás de seus títulos e de sua catédra.

carlos disse...

salve, santoro,

sou levado a discordar com o professor pela crítica rasa, como disse o marcos das 12:56h. não só pelos indicadores economicos do atual governo, como pela postura do metalúrgico em relação aos outros poderes da república, inclusive à imprensa hegemônica, que permitiram sua desenvoltura e desempenho político aqui e no exterior.

isso não quer dizer que o presidente é infalível ou que precisamos de um homem forte para fazer as transformações políticas neste país. isso é coisa de fascismo como é demonstrado no filme pasolini (???)república de saló, não é verdade?

sobre judas e jesus, o nobre acadêmico sabe que metáforas fazem parte do discurso político. na ocasião, foi a única parte da entrevista ao jornalista da folha que foi pinçado para demonizar o presidente. sugiro a leitura atenta daquela entrevista e não os factóides que vieram depois.

no rol dos pecados que o professor elenca, em relação ao presidente luiz inácio, estranhamente não contextualiza a grande mídia partiidarizada que tenta desde o início do primeiro mandato, por todos os meios, pautar a agenda política do país.

ei... ei ..., professor, e aida tem o helvècio com esse papo de companheirada, mensaleiro, mainardi .. sei não, parece coisa da república leblon-morumbi. seu humor não faz jus a divertida estória de asterix entre os helvéticos. kkkkkkkkkk!!!!!!!!!

abçs

André Egg disse...

Maurício,

acho importante dizer que a atual oposição não tem credibilidade para questionar nada, porque, por pior que seja o governo Lula e por mais que não gostemos de muita coisa, a gente não se esquece de como andavam as coisas nos tempos de PSDB-DEM. Oposição sem moral para cobrar nada, sem vontade de fazer qualquer contraposição programática - decambando geralmente para a perseguição pessoal ou o ódio de classe.

Também acho que a popularidade de Lula é proporcional à destruição que ele causou (intencionalmente) no PT. Culpa do próprio PT, sempre cheio de gente achando que bastava colocar o "Lula lá". Dilma é do partido, mas sua escolha não passou pelo partido. Saiu candidata presidencial em um desses churrascos aí. No fim acabamos votando nela por falta de opção melhor (como foi nas duas vezes com Lula) e depois aturamos um governo meia-boca que paralisa a mobilização social com melhorias econômicas superficiais mais muito necessárias.

A trasnferência dos votos vai acontecer sim, não tenha dúvida. A campanha vai ser profissional. A do Serra não vai conseguir ser melhor do que a que ele já fez em 2002, infelizmente.

Helvécio Jr. disse...

denovo esses argumentos de imprensa contra o Lulinha? Denovo essa historinha de teoria da conspiração, complô das elites? Quanta bobagem! Os votos que elegeram ele não foram os do petistas lembram?

esses petistas pré-89. Faz-me rir! A Dilma e sua ficha criminal deve ficar atrás até da Marina Silva em 2010!

Lula á minha anta mesmo!

Helvécio Jr. disse...

Carlinhos Dirceu...kkk

Maurício sabe onde eu moro, bem longe da elite playboy. Aliás, muitos playboys votaram no Lulinha.

A corrupção no governo Lula pode ser chamada, para usar termos lulísticos, de "nunca antes na história deste país" tivemos tanta sujeira!

Lembre-se que o autor do post convive nos bastidores da companheirada que aparelha o Estado e que apóia o MST, movimento semi-terrorista!

Mauricio Santoro disse...

Bom, vamos por partes...

Caro Marcos,

Dilma tem pouco tempo de PT. Há militantes que estão nessa há muito mais décadas do que ela. Me pergunto se sua escolha por Lula não vem justamente do fato de que, em função dessa história partidária frágil, ela nunca teria como desafiá-lo.

Me dói ver pessoas honradas como a senadora Marina Silva ou o senador Cristovam Buarque deixando o PT. Estavam entre o que o partido tinha de melhor. O que sobrou? O que representa hoje um Tarso Genro ou um Aloísio Mercadante, em termos de ideiais e visão de país?

Meu caro Carlos,

Chamar o presidente de metalúrgico pode soar bem num comício, mas convenhamos que há muito tempo Lula não pega num ferro de soldar, não é mesmo? E seus principais aliados no Congresso são exatamente os membros dessa elite que tantos fãs do presidente desprezam.

Os maiores jornais do país de fato não gostam de Lula, mas é difícil atribuir esse sentimento a supostos interesses contrariados. O Bolsa Família não é propriamente a tomada da Bastilha ou do Palácio de Inverno...

Pessoalmente, acho que Lula quis dizer exatamente o que disse quando mencionou Judas. Deve ser uma porcaria se olhar todo dia no espelho e se saber aliado de Sarney, Renan e Collor, entre outros.

Salve, André.

Sou bem cético com relação às transferências de voto, Dilma tem mostrado dificuldades em crescer. Claro que isso pode mudar com uma campanha intensiva, mas ainda assim tenho minhas dúvidas.

Abraços

Anônimo disse...

Esse Helvecio coitado, devia aprender a argumentar ao invês de repetir que nem uma matraca o Mainardi e o Azedo.

Helvécio Jr. disse...

vale a pena responder a um anônimo
eleitor do Lula? Diga seu nome e apresente seus argumentos Anônimo!

Não seja como a maior parte dos eleitores do Lula que tem dificuldades em interpretar textos...kkk

aiaiai disse...

Caramba, Maurício!
Só o fato do seu post ter sido defendido pelo helvécio jr. já deveria fazer você pensar um pouco mais sobre essa sua postagem realmente "passou da medida".
Acho que o lula tem exagerado em algumas ações, faz declarações que eu não gosto outras tantas vezes. Mas é inegável que as conquistas do brasil realizadas sob o mandado de lula são impressionantes. Nem mesmo o mais ferrenho petista poderia ter imaginado que chegariamos a esse ponto. Dai o desespero da oposição, que não tem propostas, só sabe repetir "mensalão, mensalão, mensalão", como se eles não tivesse usado do mesmo artifício quando estavam no poder...
Quanto à imprensa, o que lula disse foi que a imprensa deve informar e não fiscalizar. Existem orgãos competentes para fiscalização e julgamento. Certamente não são os jornais - que no brasil pertencem a meia duzia de família...vc sabe disso, né?
quanto à marina, adoraria poder contar com ela, mas infelizmente, a porção crente dela também "passou da medida". Ela coloca questões religiosas acima das questões de direitos humanos e de cidadania, como no caso da união civil de homossexuais. Vc também sabe disso.
vai pensando ai, tenho certeza de que vc não quer ficar do lado do helvecio.

Enzo Tessarolo disse...

Salve Mauricio,

Parece que ultimamente, sempre que você cita o nome do Lula, várias pessoas vêm aqui reclamar de sua suposta postura "anti-lulista", quando na verdade o que você está fazendo é simplesmente levantar dúvidas quanto à direção tomada pelo governo nos últimos anos (em particular, nos últimos meses).
Pois eu estou contigo. Continue assim, com o ceticismo "ligado". Esse é, afinal o nosso dever não só como acadêmicos, mas como cidadãos. O Estado não deve ser uma pessoa. É a instituição democrática que deve prevalecer. Algo que talvez Lula não reconheça, tendo em vista sua negação de que a vitória de Dilma representaria um terceiro mandato dele: "rei morto, rei posto".

Com relação à mais polêmica afirmação de Lula do momento, não acho que ele esteja errado. É realmente difícil governar quando não se tem a maioria no Senado e na Câmara. A única saída é utilizar os acordos ou as coalizões.

O Judas de Lula certamente é o PMDB (aliás, quer exemplo maior de Partido que utiliza coalizões para governar?!), mas quando ele usa Maquiavel implicitamente na sua entrevista e explicitamente se compara a um Rei, não há como não acreditar que o Presidente pensa como Luís XIV. Lula deixa de ser nossa anta e se torna nosso anticristo.

(tá bom, exagerei... mas era só pra concluir com efeito..eheh).

Enzo Tessarolo disse...

Companheiros, não se trata de uma luta entre os lados "pró-governo" e "anti-governo". O debate aqui é sobre as posições adotadas por Lula. Ninguém aqui tirou o mérito do Presidente ter alcançado importantes realizações no contexto externo. O que preocupa é justamente o âmbito interno e os meios adotados para atingir os fins externos. A crescente divinização de nosso governante (que parece ter chegado a esse blog) tolhe o senso crítico dos brasileiros e dá ao Presidente mais poderes para agir unilateralmente...

Mário Machado disse...

“Nós somos seres normais, um bandido não é normal" Imaginem que essa frase fosse dita por FHC, ou por Bush, Blair ou Uribe.

Qual seria a reação das ONG's do pretensos defensores dos Direitos Humanos, dos pretensos progressistas?

Helvécio Jr. disse...

Os defensores do Lula aqui no blog realmente não apresentam argumentos e se escondem sob "ai ai ai" defensores dos homosexuais.

Ai ai ai Lulinha! O fato é que os melhores quadros do PT sairam do partido isso tem um significado claro. Ou alguém aqui acha que Cristovam Buiarque e Marina Silva estão errados e o PT é que está certo?

Minimizar o mensalão é uma prova da cegueira democrática dos petistas pré-89 ainda vivos. Em qualquer país parlamentarista avançado políticamente o presidente teria caído e seria processado. Aqui no Brasil Lulinha escapou e o Dirceu foi o bodinho! O que deixa os petistas preocupados é o fato do partido não ter um líder além do Lula, vão propor o terceiro mandato?

Mas repito Anônimo, o autor do post conhece bem os bastidores do governo, você conhece? claro que não né!

Helvécio Jr. disse...

Os anônimos querem amenizar as besteiras lulistas, mas ele realmente consegue dizer tais bobagens anti-democráticas.

sobre a imprensa:

http://oglobo.globo.com/pais/mat/2009/10/22/para-presidente-lula-imprensa-nao-deve-fiscalizar-777836366.asp

Além disso, defendeu Sarney na crise do Senado e chegou a intimidar o Ministério Público ao dizer que há um projeto de lei para limitar a atuação do órgão.

Para Lula, seria perseguição política contra Sarney...kkk

Segundo uma repórter da Globo News, Lula teria dito para alguns amigos que gostaria, neste segundo mandato, de ser lembrado como um estadista a exemplo de Getúlio Vargas.

PERGUNTO:

QUANDO SERÁ O SUICÍDIO?

Mauricio Santoro disse...

Aiaiai,

o Helvécio e eu somos amigos há muitos anos e inclusive dividimos apartamento na época em que ambos cursávamos pós-graduação no Rio. Me fazem falta nossos papos comentando o jornal noturno e as bobagens da vida política brasileira.

Concordo que o Brasil está bem melhor do que em 2003, mas meu ponto é que FHC também deixou um país mais avançado do quando assumiu em 1995. O controle da inflação foi um legado importante, ainda que os tucanos tenham errado em muitos pontos importantes, da reforma do Estado à política cambial. E ambos os presidentes deixaram falhas muito sérias em temas fundamentais como educação e saneamento, para não mencionar o combate à corrupção...

A imprensa que temos é cheia de problemas, mas ela é melhor, muito melhor, do que a ausência de fiscalização preoconizada pelo presidente. Prefiro a coluna do Elio Gaspari ao press release do Palácio do Planalto.

Quanto à senadora Marina, discordo de muitas de suas posições, mas tenho grande admiração por sua postura ética, assim como a do senador Cristovam. E quando vejo os dois sendo tratados desse modo, enquanto José Dirceu continua a rondar pelas sombras... Bem, é sinal que algo vai mal, muito mal.

Salve, Enzo.

O que eu acho curioso é o tom de ofensa pessoal, parece que eu injuriei o tio dos caras... Ou então que chegamos todos ao Paraíso e sou um herege que preferiria, sei lá, ver o Manhattan Conection - a que eu nem assisto. Mas as reações destemperadas refletem esse clima de quase-unanimidade um tanto assustadora, em particular porque acompanha uma fragilidade ideológica muito grande por parte do presidente.

Abraços

Helvécio Jr. disse...

Jogador,

Faz falta mesmo. Muitas risadas das incomPeTências...hehe

Mas no fim é sempre o mesmo:
Maurício 5 x 0 Anônimos petistas.


abraço meu caro!

aiaiai disse...

Bom, Maurício, só me resta, como anônima comentarista que sou, lamentar por este período triste da sua vida. Mas, pensando bem, deve ter sido bom...tendo um companheiro de apartamento desses, você deve ter se dedicado com vigor a pós-graduação.
bom finde!

Helvécio Jr. disse...

Maurício, to achando que essa garota acabou de entrar em alguma universidade pública e gostaria de dividir o Apto. contigo...kkk

Mas pelo menos aceita resignada o destino né mensaleira?!

esses petistas 'covardões' tem sido minha melhor fonte de risadas. Melhor que o Adnet, Zorra Total, etc.!

Mauricio Santoro disse...

Aiaiai,

Essa postura autoritária que você tem demonstrado, com ataques pessoais de baixo nível, mesquinhos, é uma mostra do tipo de perigo presente nas posturas atuais do presidente Lula.

Cuidado, Helvécio, essa gente ainda acaba nos enviando para um campo de reeduação petista, no qual passaremos nossos dias ouvindo discursos do Tarso Genro, assistindo às exibições de "Lula, o Filho do Brasil" e fazendo cursos de ética com Dirceu e Palocci.

Abraços

Luiz Rodrigues disse...

Quando noto que qualquer comentário que faça críticas a um determinado líder político no Brasil é encarado como uma armação de seus opositores, e seu autor deva ser anátema, me dá uma saudade da Holanda...

Mauricio Santoro disse...

Salve, Luiz.

O que me vem à mente são as lembranças da Argentina. Os setores mais radicais do PT estão cada vez mais parecidos com o peronismo. E isso não é um elogio a nenhum dos dois partidos...

Ah, e parabéns pelo novo cargo. Espero em breve posts sobre Doha!

Abraços

Mário Machado disse...

caramba... essa do campo de reeducação foi genial...ahuahuahuu

Wellington Amarante disse...

Santoro, admiro muito seu trabalho, but!!!

Dizer que:
"ambos os presidentes deixaram falhas muito sérias em temas fundamentais como educação".

Não parece comentário de alguém que se preocupava com a juventude. As universidades federais estavam sendo sucatedas durante o governo FHC, sem concursos públicos, bolsa de pós congeladas. Ex. A Bolsa de Mestrado era de R$ 700,00 em 1995 e continuou assim até o primeiro reajuste no Governo Lula, e hoje recuperou o poder de compra chegando aos R$ 1.200.

Houve uma expansão tamanha nas universidades públicas. Nos Instiutos de Tecnologia. A universidade Aberta do Brasil. Sem falar no Pro-Uni.

A Lei do Piso e o Fundeb corrigiram graves distorções na Educação.

Indicadores como a prova Brasil também são instrumentos que colaboram muito com as escolas, e as incentivam.

Espero que este comentário tenha sido apenas fruto de um momento de nostalgia provocado pela lembrança de morar com um velho amigo. Espero mesmo.

Forte Abraço.

ps. Para o Helvécio digo apenas o óbvio ululante. São 30 milhões de família retiradas da pobreza, se isso pra você é pouco. É fácil falar em "democracia", em "ética", em "mensalão" pra quem tem suas refeições garantidas, e de barriga cheia não consegue enxergar além do umbigo. E o fato é falar do Presida dá Ibope! E Helvécio pra quem critica a figura de herói, acho que você está muito papagaio de pirata.

Mauricio Santoro disse...

Salve, Wellington.

Minha avaliação é que o governo Lula fez bastante pela educação universitária, e desenvolveu projetos anteriores de FHC ligados ao apoio federal ao ensino básico (Fundeb/Fundef). Mas as deficiências continuam. Trabalho em universidades privadas e o nível de incompetência e falta de profissionalismo que vejo no setor público é impressionante. Dá vontade de chorar.

No campo da educação básica, o país resolveu o problema do acesso, mas a qualidade do ensino continua péssima, e os salários, muito ruins. Apesar dos avanços. Muito mais poderia ter sido feito nessa área, tanto por FHC quanto por Lula. Bons investimentos nesse campo teriam um impacto muito eficiente na redução da pobreza.

Abraços

Helvécio Jr. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Helvécio Jr. disse...

Wellington Dirceu,

O presidente é apenas um servidor. Tirar milhões da pobreza é uma bela propaganda, mas negar o fato que os programas sociais começaram na era FHC é de um petismo cego hein. (Bolsa-Escola, Vale-Gás e Bolsa-Alimentação).

Se Lula teve pontos positivos na expansão da economia foi graças a estabilização da economia com o plano real.

Interessante seu argumento de que a moral e a ética são apenas subsidiários diante dos "esfomeados" do Brasil. Argumento idêntico ao pragmatismo do Zé Dirceu.

Minha resposta irônica foi aos ataques pessoais e autoritários dos anônimos acima. Mas meu interesse é apenas em criticar o presidente, seja tucano, petista ou qualquer outra desses legendas mortas em ideologia política.

Mário Machado disse...

olha que ainda mandam vcs pra um gulag em garanhuns...

Wellington Amarante disse...

Valeu Santoro pela explicação. Concordo plenamente.

Helvécio você disse:

"Se Lula teve pontos positivos na expansão da economia foi graças a estabilização da economia com o plano real".

Mas do que isso querido. A concepção de Estado é outra. Dando ao Estado um papel central na condução do desenvolvimento econômico e no investimento social. FHC entregou setores do nosso Estado em nome de um neoliberalismo que contagiou os países subdesenvolvidos. Vide o México que se enquadrou a uma política neoliberal, aderiu ao Nafta e recentemente foi parar onde? No FMI, aquele mesmo do qual somos credores hoje. E você fala tanto em estabilização mas esquece da desvalorização em 1998 e do boom do dólar a R$ 4 com Juros a
27,5% reservas de pouco menos de 40Bi... Esse era o quadro.

Concordo com você quando diz que tirar 30 milhões de pessoas da pobreza é uma excelente propaganda. E aí está a diferença do atual governo temos projeto e feitos para mostrar.

Infelizmente, pessoas como você parecem querer voltar à época em que o Brasil vivia com Apagão, adotou a cartilha do FMI, com sua progressão conendeutinuada, aventou a possibilidade de assinar a ALCA. Quase vendeu a Petrobrás, lembra da Petrobrax.

E o senhor FHC ainda que se estopim para um movimento de renovação. Ao que tudo indica, nem os tucanos nem os demos querem sua imagem associada a de Serra. Democratas, muito visionários por sinal, perceberam a derrocada do liberalismo e trataram de mudar o nome do partido. Quem irá lembrar de Partido da Frente Liberal?

Helvécio Jr. disse...

Wellington, o muro caiu em 89 e vejo que essa ladainha de neoliberalismo ainda está impregnada na cabeça dos saudosistas da velha esquerda.
Se não fosse a reforma do eEstado (embora todas tenham falhas) o Brasil não seria entre os Bric's hoje, a modernização do país na era FHC foi evidente.

Comparar o Brasil com o México nesse nível é um exercício de ingênuidade em economia internacional.

Serra está bem a frente em todas as pesquisas.

Como o Maurício disse, teorias da conspiração, culpar a imprensa são típicas desse mundo fantasioso em que vivem os vendidos da UNE, petistas que argumentam que o mensalão não foi nada demais, aparelhamento do Estado com partidários é algo comum, dólares na cueca, Quebra do Sigilo Bancário do Caseiro Francenildo, Dossiês forjados, etc.

Como você pode concordar com o Maurício se o que ele disse é exatamente o mesmo que eu disse?
Ou seja, Lula só pode caminhar mais ou menos bem hoje pela austeridade econômica e estabilização implantadas pelo Plano Real. O PT queria se apoderar das origens dos programas sociais da era FHC, agora também querem se apoderar da estabilização da economia?

O que o Maurício disse é que ambos, Lula e FHC cometeram erros importantes.

Maurício, é como você me disse certa vez, essa gente até pode mudar o pensamento, mas não muda o voto...hehe