segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Olimpíadas no Rio



Tão frequentemente descritos como pertencendo ao “país do futuro”, os brasileiros se descobriram vivendo no presente neste fim de semana (...) Muitos acreditam que o Rio, também, está em ascensão. Após anos de negligência e violência urbana, os investimentos estão retornando gradualmente... impulsionando um boom econômico e cultural.

The Guardian

No que toca ao Brasil, o país nunca esteve tão na moda. Os brasileiros sediarão a Copa do Mundo em 2014 e agora as Olimpíadas, dois anos depois. Eles fornecem a primeira letra do grupo de superpotências econômicas emergentes – os BRICs. São membros-chave do G20. Com Lula, o Brasil finalmente tem um líder que é uma reconhecida figura global... E o Brasil acaba de descobrir reservas massivas de petróleo offshore. Que país de sorte!

Financial Times


Acrescento o que até a Forbes já sabe: o Rio de Janeiro é a cidade mais feliz do mundo.

Em especial após a sexta-feira. A decisão do Comitê Olímpico Internacional em favor do Rio foi uma tremenda injeção de ânimo e auto-estima para a cidade. Ainda que, à maneira carioca, a comemoração venha acompanhada de um certo ceticismo com relação à capacidade das autoridades e do setor privado em cumprir com todas as promessas: dobrar o número de vagas nos hotéis, expandir o metrô, melhorar a infra-estrutura de transporte e a segurança pública, despoluir a Baía de Guanabara e construir ou reformar mais de 30 instalações esportivas.

Bem, agora sou uma dessas autoridades, de modo que a preparação para as Olimpíadas me interessa de perto, de pertíssimo, e espero me dedicar ao tema pelos próximos anos! A campanha oficial foi primorosa, um belo exemplo de trabalho conjunto entre as três esferas de governo. O presidente Lula esteve em um de seus melhores momentos, reforçando o argumento de que já era hora da América do Sul sediar os Jogos, e usando todo o seu prestígio para a causa – o contraste com os esforços confusos de Obama foram marcantes.



O vídeo oficial mostra o plano apresentado pelo Rio. Como sabemos os cariocas, a dispersão da cidade por uma enorme faixa de território é uma dificuldade, pois as atividades esportivas estarão espalhadas por quatro aglomerados, embora concentradas na Barra da Tijuca, onde já estão muitas das instalações construídas para o Pan-Americano de 2007. A idéia faz sentido, mas gostaria de ver mais destaque para a possibilidade de usar a zona portuária e certos setores do centro, que bem precisam de revitalização e reforma.

As Olimpíadas de 1992 foram o grande símbolo do renascimento de Barcelona e da ascensão da Espanha a um novo patamar internacional. As de 1996, consolidaram Atlanta como a capital do “novo sul” dos Estados Unidos. As de 2008, claro, foram mais um passo no caminho da China para sua restauração como potência global. Acredito que o caso brasileiro será mais parecido com o espanhol, com o bônus da Copa de 2014. Temos pela frente tantas oportunidades excelentes que dá até vertigem de imaginá-las. O país está anos-luz à frente do que conheci quando era criança, com o caos da inflação e a falta de perspectivas.

13 comentários:

Marcus disse...

Resumiu o que eu estou sentindo. Às vezes eu me belisco pra ver se acredito que estou no mesmo país onde passei a infância.

Patricio Iglesias disse...

Meu caro Maurício:
Parabéns a todos os cariocas! Espero um dia ver sediar os JJOO em Buenos Aires.
Argentina também é bem distinta da que eu conheci em meus primeiros anos, nos '90: já nao temos o Gran Prix de Bs. As., ninguém luta por Buenos Aires como sede olímpica no futuro, temos inflacäo, näo temos um sistema de partidos razoàvel... qué coisa! Sinceiramente eu também penso que estou morando em outro pais! Ha, ha, ha!
Saludos!

Patricio Iglesias disse...

Perdäo, estou fazendo uma prova.

carlos disse...

salve, santoro,

as matérias recentes do el país, wall street journal, the times e the independente são unânimes em afirmar que o brasil é o país do presente e não do futuro. tomei foi um susto, pois aqui na terrinha parte da mídia pensa exatamente o contrário.

invejo o professor em aproveitar essa oportunidade e, ao mesmo tempo, lhe desejar um sucesso retumbante nessa empreitada. o post está irretocável.

a cidade maravilhosa da prof. gabizo (tijuca) e da gustavo sampaio (leme)me arrepiou os cabelos nessa vitória do brasil.
estamos em estado de graça ou tô meio abestado?

abçs

Adriana Morgado disse...

Maurício!!! Escreve sobre a Mercedes Sosa! Tenho certeza de que suas palavras farão com que eu me sinta menos triste!!!

Um abraço,

Adriana.

Mário Machado disse...

A oportunidade tá ai... demografia, economia e um dead line pra ve se rompe a inércia.

Cabe a vcs "desratizarem" o processo e finalmente profissionalizar a gestão pública de vez.

Uma boa oportunidade, como digo em meu blog agora é fiscalizar quem for disso, executar quem tiver essa tarefa e na hora precisa quem puder ser voluntário que seja.

Mauricio Santoro disse...

Salve, Patricio.

No fim de semana meu irmão conversou comigo justamente sobre Buenos Aires (que ele planeja visitar em breve) e sobre como a cidade poderia sediar uma Olimpíada estupenda. E uma nova Copa, sem a sombra da ditadura, como foi a de 1978.

Tenho que os jogos de 2016 serão apenas o começo e que em breve teremos outros grandes eventos esportivos na América do Sul.

Carlos,

Estou completamente abestalhado, a alegria do retorno ao Rio misturada à felicidade pelas vitórias da cidade.

Adriana,

Mercedes está em meu CD player, e em nossos corações. Mas é raro que eu escreva obituários, meu esforço é mais para destacar o trabalho de pessoas que estão vivas, e produzindo.

Infelizmente, levarei a frustração de nunca ter visto um show de Mercedes. No dia em que me mudei para Buenos Aires, ela fez uma mega apresentação no Colón, mas foi apenas uma noite, para marcar o início da restauração do teatro.

Salve, Mário.

CGU e TCU neles! Mas torço para que se pense algo mais, em particular algum tipo de comissão fiscalizadora envolvendo sociedade civil e imprensa.

Abraços

Karin Nery disse...

Parabéns ao Rio, e aos cariocas! A cidade de vocês é MARAVILHOSA. Estou muito feliz pela decisão do COI de ter escolhido o Rio para sede das Olímpiadas de 2016!

Mauricio Santoro disse...

Obrigado, Karin.

Por aqui estamos todos felizes também!

Abraços

luizgusmão disse...

o 'john stewart daily show' sobre a derrota d chicago foi ótimo. confere:

http://www.thedailyshow.com/watch/mon-october-5-2009/chicago-nope

Enzo Tessarolo disse...

Olá Mauricio,

Sinceramente, não sei se me sinto feliz ou triste por saber que as Olimpíadas (e a Copa) serão aqui no Brasil. O que a gente lê é que o Pan 2007, por exemplo, que estava com um orçamento planejado em R$ 400 milhões no final das contas chegou a mais de R$ 3 bilhões. Se agora o previsto são R$ 14 bilhões para as Olimpíadas, não me arrisco nem a pensar em quanto dinheiro será gasto (ou desviado...)

Você me parece, porém bastante otimista com relação a esses eventos. Não estou discutindo aqui a eficiência de Lula (que realmente foi excelente) ou a capacidade do governo em fazer, de fato, uma ótima Olimpíada. Sei que somos capazes. Mas e a corrupção? E o dinheiro que poderia estar sendo investido em outras áreas?

Gostaria de saber se como jornalista e cientista político a sua opinião é a mesma da sua parcela de burocrata - se é que possível fazer tal separação. Se o seu otimismo é um resultado dessas três "personas", acho que me sinto um pouco mais tranquilizado... hehe


Abraços,
Enzo

ps: bom ver seu blog tão movimentado nesses últimos tempos

Mauricio Santoro disse...

Salve, Enzo.

Pode acrescentar uma outra persona, que é a de morador do Rio de Janeiro.

Apesar de todos os problemas, o Pan foi muito positivo para a cidade. Houve diversas lições importantes quanto aos orçamentos estourados e à precariedade da infraestrutura que, acredito, serão pelo menos amenizados com os Jogos Olímpicos.

Agora é arregaçar as mangas e trabalhar.

Abraços

Marcelo L. disse...

Parece que a fase de boas notícias não para...

http://rothkopf.foreignpolicy.com/posts/2009/10/07/the_world_s_best_foreign_minister