quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Amigos, projetos e uma bela cidade



A foto acima mostra a rua da Universidade, em Montréal, um dos lugares que mais freqüentei durante minha permanência no Canadá. A rua fica em frente ao hotel onde aconteceu a maioria dos eventos do congresso e está repleta de cafés, restaurantes e livrarias, estabelecimentos onde passo de bom grado uma longa parte da vida. Era um programa comum me reunir com amigos para papos entre um debate e outro.

A universidade que dá nome à rua é a McGill, uma das mais importantes do Canadá. Ela está localizada numa linda colina e todo o complexo é muito bonito, com prédios e parques espalhados num ambiente acolhedor. Melhor de tudo: a McGill anunciou no congresso bolsas para seu programa de pós-doutorado em Estudos do Desenvolvimento. O tema me interessa muito e desde já é uma forte possibilidade para o futuro. Outra coincidência: o curso é financiado pelo mesmo instituto governamental que banca a pesquisa sobre juventude sul-americana, na qual trabalho atualmente.





Num dos debates, conheci um acadêmico brasileiro que fez o pós-doc no Canadá, mas na Universidade do Québec. Ele me falou maravilhas do ambiente intelectual, da hospitalidade e da excelência acadêmica do país. Me estimulou muito para que eu prosseguisse meus estudos por lá e com certeza suas palavras estão sendo consideradas com muita atenção por mim!

Meu desejo de estudar técnicas do desenvolvimento foi reforçado pelos ótimos amigos que fiz no congresso. Um dos grupos com quem mais andei foram de profissionais europeus e latino-americanos que trabalham nesse campo. Além da afinidade de interesse, foram colegas de mestrado na Holanda de uma amiga minha. Os laços comuns nos aproximaram e passamos ótimos momentos conversando e trocando idéias. Muitos deles viveram no Peru e aprendi bastante sobre a situação atual desse país, em particular o modo como os efeitos terríveis do terremoto foram agravados pelas desastradas decisões do presidente Alan García.

Outro bom grupo de amigos que fiz em Montréal foi de jovens doutorandos de Berkeley, nos EUA. Já conhecia uma das moças, a quem ajudei quando ela esteve no Brasil pesquisando para sua tese. Ela me apresentou a vários colegas e nos divertimos muito contando piadas sobre os absurdos de nossos países. Me impressionou o número de estudantes dessa prestigiada universidade que estão se dedicando aos assuntos brasileiros. Todos falam excelente português (melhor do que o de muitos depoentes em nossas CPIs...) e têm um grande carinho pelo Brasil. "Agora em Berkeley somos todos brasileiros", brincou um deles.

Meus amigos brasileiros no congresso eram principalmente os colegas do IUPERJ, mas também fiz amizade por lá com muitos estudantes e professores das universidades paulistas, da UnB e de uma ou outra instituição nordestina. Fizemos belos passeios por Montréal. Um deles foi pelo Quartier Chinois, bastante grande. Apesar do nome, ele abriga não só chineses, mas uma expressiva comunidade de imigrantes asiáticos que inclui muitos vietnamitas e tailandeses. Gostei principalmente de jantar nesses restaurantes típicos: ótima comida e um preço bastante razóavel para os altos padrões do Canadá. Também comemos no Quartier Latin, que concentra vários dos restaurantes da moda, uma arquitetura fantástica e uma agitada vida noturna.



O centro histórico de Montréal se concentra junto ao porto e contém preciosidades como a Praça de Armas e a Praça Jacques Cartier. Toda a área está muito conservada e é um prazer caminhar por ela. Do porto, tomamos um cruzeiro pelo rio São Lourenço (a cidade, vale lembrar, é uma ilha) e fizemos um passeio interessante pelos arredores. Na foto abaixo, o Biodome, uma estrutura que abriga exposições com os principais ecosistemas das Américas.



Montréal é uma cidade especial, de categoria internacional como seus habitantes gostam de dizer. A programação cultural anual é deslumbrante e inclui eventos extraordinários na música, literatura e cinema. Me despeço dela como quem diz até logo, e desde já está marcada na minha vida como um lugar de amizade e pensamento.

2 comentários:

Patricia Rangel disse...

Gostei do blog novo.
Que bom que está de volta!
Beijos

Mauricio Santoro disse...

Alô, querida.

Seja bem-vinda.

Acho que estarei em São Paulo no dia da sua festa, pintou uma viagem inesperada. Mas ainda não é 100% certo.

Beijo