quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Lágrimas de Ouro



A vitória de Hilary Clinton nas primárias democratas de New Hampshire foi uma surpresa total, pois as pesquisas indicavam o triunfo de Barack Obama por pelo menos 5 pontos de diferença. Clinton venceu por 39% contra 36%, o que sinaliza uma luta acirrada pela indicação do Partido Democrata. A campanha da senadora entrara num surto depressivo que incluiu até quase chorar em público. Só que isso ajudou. Vejam trecho da reportagem do New York Times:

"As mulheres finalmente viram uma mulher - talvez durona, mas de coração mole", disse Elaine Marquis, uma recepcionista de Manchester, que estava dividida entre o sr. Obama e a sra. Clinton, mas tendia a mudar de idéia quando ela expressou seus sentimentos."

Enfim, como comentamos no post de ontem, muito do que é importante em política se dá por razões emocionais dignas de uma votação no paredão do Big Brohter, mesmo que se trate de escolher de quem irá ocupar o cargo mais importante do planeta. Na verdade, é a segunda vez que Hilary Clinton se beneficia desse tipo de estratégia, pois ela foi fundamental quando apareceu como esposa sofrida e solidária, confortando o marido após ele ter admitido "relações impróprias" com a estagiária da Casa Branca.

No discurso de agradecimento, Clinton abandonou o hábito de aparecer cercada de ex-assessores do marido, e surgiu em meio a adolescentes e jovens, que têm sido formidáveis no apoio a Obama. Ela se saiu melhor entre as mulheres e eleitores democratas, enquanto seu rival foi muito bem entre independentes. O problema para ele é que muitos estados só permitem votantes registrados no partido, e os Clinton são fortes com a liderança democrata. A briga será boa.

Entre os republicanos, nenhuma surpresa: McCain venceu com folga (37%), como previam as pesquisas. E a disputa dentro do partido continua acirradíssima entre ele, Romney (2o em New Hampshire, com 31%), Huckabee (3o, 11%) e Giuliani. As expectativas são de Romney vença a próxima primária, em Michigan (15 de janeiro), estado que seu pai governou. Mas McCain também é forte por lá e levou o estado quanto tentou concorrer à presidência em 2000.

Se você está confuso quanto aos candidatos, parabéns. Significa boa informação. Cheque o blog do Idelber, que explica direitinho "quem é quem", com comparações a uma eleição para grêmio estudantil. No site dele, você também encontra o link para o teste do USA Today, sobre qual candidato está mais próximo às suas posições políticas. Depois vote na minha enquete para manifestar sua opinião.

2 comentários:

Sergio Leo disse...

Será que essas lágrimas entram na equação do Bueno de Mesquita, Maurício?

Mauricio Santoro disse...

Gostaria de saber, Sergio. Ele declarou que alguém dos democratas irá vencer a eleição, mas se recusou a dizer quem seria, embora garanta saber o nome da pessoa. A Mãe Dinah pelo menos dava o serviço completo no programa do Gugu.

Abraços