quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

A Ascensão de McCain


A vitória de John McCain nas primárias da Flórida o transforma no favorito a conseguir a indicação do Partido Republicano como candidato à presidência. É uma reviravolta impressionante para o senador, cuja campanha era considerada falida há poucos meses. Pelas regras, McCain ganhou todos os delegados da Flórida à convenção nacional, e obteve seu triunfo num estado em que só votam nas primárias eleitores registrados no partido, derrubando o mito de que só ia bem com os independentes. Também passou à frente de rivais que haviam investido muito mais tempo e dinheiro na região, como Mitty Romney e Rudolph Giuliani – este último provavelmente deixará a corrida de vez.

O senador McCain é um respeitado veterano do Vietnã, onde foi prisioneiro de guerra dos comunistas. Apóia a guerra do Iraque e a permanência de tropas americanas no país, mas tem posições centristas em diversos pontos. O cenário é que Romney e Mike Huckabee vão disputar o voto dos eleitores mais conservadores.

No Partido Democrata, a maré dos últimos dias beneficiou, e muito, Barack Obama. Idelber faz análise brilhante da vitória estrondosa do senador na Carolina do Sul, e de como a estratégia agressiva de Hilary Clinton tem alienado muitos eleitores em seu próprio partido. O fato de Bill Clinton cochilar na homenagem no Harlem a Martin Luther King Jr também não ajuda, convenhamos.



Hilary venceu na Flórida, o problema é que o estado está sob punição pelo Partido Democrata, devido à antecipação não-autorizada da data das primárias, e não enviará representantes à convenção nacional.

O fato mais significativo no campo democrata foi o apoio que a família Kennedy deu a Obama, em emocionante cerimônia, com a filha do ex-presidente afirmando que ele será “um presidente como meu pai”. David Brooks faz comparações muito interessantes entre os dois e ressalta o que vários observadores têm comentado: a intensa participação dos jovens na campanha de Obama. Na Carolina do Sul, nada menos do que 75% dos eleitores nessa faixa etária votaram nele.

6 comentários:

Rodrigo Cerqueira disse...

Verdade, Maurício, o crescimento de McCain foi impressionante. Isso parece ter se refletido até no último debate democrata, quando Hillary e Obama baixaram o tom das críticas mútuas em favor da chamada "agenda positiva". Mas ainda não vejo em Obama propostas consistentes para cativar o elitorado de centro, fundamental em qualquer eleição presidencial norte-americana. O carisma pode aproximá-lo da juventude democrata, mas não é suficiente para se tornar presidente. Ainda mais contra McCain.

Paulo Gontijo disse...

Mauricio meu caro, por aqui McCain é carta certa. Dick Morris tem apontado, e todas as tendencias tambem, que é muito dificil reverter essa tendencia. Na california, algumas pesquisa ja apontam uma mudanca de tendencia, com Hillary levando apenas uma pequena vantagem. A questão é que os Clinton estão fazendo um jogo sujo usando Bill para bater, tentando dissociar a imagem da Hillary. Os republicanos por sua vez preferem Obama, uma vez que pensam ser o mais fácil de derrotar. Eu tenho que reconhecer que o Carisma dele e a campanha são pontos muito fortes.

Mauricio Santoro disse...

Salve, meus caros.

Escrevo às vésperas da Super Terça, com as pesquisas de opinião mostrando que McCain, de fato, disparou entre os republicanos e se consolidou como o candidato.

A embolação no lado democrata está enorme, porque Obama diminui dia a dia sua diferença para Hilary, e algumas sondagens dão empate técnico entre os dois. Aguardemos!

Abraços

Patricio Iglesias disse...

Maurício:
"Hilary venceu na Flórida, o problema é que o estado está sob punição pelo Partido Democrata, devido à antecipação não-autorizada da data das primárias, e não enviará representantes à convenção nacional."
Pensava que issas coisas só pasavam em nossos paises!
De todos modos, aunque eu näo sigo muito a política norte-americana, näo penso que os republicanos ganhem a presidéncia, seja McCain ou outro.
Saludos argentinos

Patricio Iglesias

Mauricio Santoro disse...

Meu caro Patricio,

os problemas da política são muito mais parecidos entre os países do que em geral pensamos!

Esta eleição tem sido marcada por reviravoltas constantes nas preferências dos eleitores, mas atualmente as pesquisas indicam que McCain venceria os democratas, fosse o candidato Hilary ou Obama.

Abraços

Anônimo disse...

I like use viagra, but this no good in my life, so viagra no good.